Psicofármacos / Ansiolíticos
Voltar | Ver bula |
   Buspirona

O que é e para que serve ?
A buspirona é o único ansiolítico não benzodiazepínico, ou seja, é a única medicação específica para a ansiedade cujo grau de dependência é praticamente zero. Assim sendo está indicado para o tratamento de distúrbios de ansiedade. Está especialmente indicado para as pessoas que já sofreram anteriormente com dependência a calmantes do grupo dos benzodiazepínicos

Como é usado?

A apresentação é em forma de comprimidos; isto significa que pode ser dividido, permitindo um controle mais preciso da dose. A dose média usada varia entre 15 e 30mg/dia. O fabricante indica como dose máxima 60mg por dia. Acima disso use apenas por estrita orientação do médico.

Principais efeitos
A buspirona é um tranqüilizante que não dá sono, nem atua como relaxante muscular, não podendo ser usado como anticonvulsivante, como os demais tranqüilizantes benzodiazepínicos. Os efeitos colaterais também são diferentes dos outros tranqüilizantes. Os mais comuns são tonteiras, enjôo, inquietação, dor de cabeça, sensação de leveza na cabeça. Estes efeitos acometem aproximadamente 10% dos pacientes. Outros efeitos menos comuns que acometem menos de 1% dos pacientes são dor no peito, aceleração do coração, insônia, pesadelos, confusão mental, visão borrada, fraqueza muscular, zumbidos, vômitos e diarréia. Febre e diminuição das células de defesa podem acontecer; para esta situação devem ser tomadas precauções especiais, como dosar o nível dessas células no sangue.

Considerações importantes
O mecanismo de ação dessa medicação é desconhecido. Como a eliminação feita pelo fígado é rápida, em aproximadamente 2 a 3 horas metade da dose é eliminada da circulação. É recomendável administrar a medicação ao longo do dia, por isto também, paciente com insuficiência hepática deve tomar uma dose 25 a 50% abaixo da recomendada para o respectivo peso. O pleno efeito dessa medicação costuma ser alcançado depois de 2 ou 3 semanas de uso contínuo. Esta medicação também provoca elevações dos seguintes exames de laboratório: prolactina, hormônio do crescimento, alanina aminotransferase e aspartato aminotransferase. Não há estudos em mulheres sobre os riscos do uso durante a gestação. O estudo com animais não encontrou nenhum malefício.

Última atualização: 24-07-2005
Ref. Bibliograf.:
Psicofármacos 2º Ed 2000
Aristides Volpato